28
jul
2014

Deu o que falar…

Deu o Que Falar

1 – Ainda sobre blogueiros x jornalistas

Semana retrasada, o site FFW publicou uma matéria com editor do jornal Le Figaro, Godfrey Deeny. A entrevista é bem grande e ele aborda mil coisas interessantes sobre a sua profissão, suas impressões sobre a moda no Brasil, etc. Bem no fim, a jornalista resolve perguntar sobre blogueiros, no que ele respondeu:

ffw-godfrey-deeny

A entrevista estava indo muito bem até o momento dessa resposta. Não é porque somos blogueiras que nos doemos com o comentário, mas achamos que Godfrey foi totalmente diferente de todo o resto da matéria, um tom arrogante que até então não tinha aparecido.

Achamos que ele não está errado em dizer que blogs de moda nada mais são que representantes das marcas (e lá fora esse aspecto é mais forte ainda, convenhamos), mas ao mesmo tempo, não entendemos porque essa discussão tão antiga de blogueiros x jornalistas x críticos de moda continua acontecendo. Para nós, a palavra moda engloba tantas vertentes, tantas possibilidades e tantas ideias que sempre pareceu muito natural que tenha gente que prefira abordar o assunto com um viés mais cultural e pessoas que prefiram focar no consumo. E ninguém é melhor ou pior por ter escolhido um caminho ao invés de outro!

Mas voltando ao assunto, claro que a manchete que escolheram não poderia ser outra: “Blogueiros não têm muita cultura de moda” – diz editor de moda do jornal francês Figaro”.

Exatamente 5 dias depois, saiu uma outra matéria onde blogueiras comentavam sobre essa frase (mais uma vez, podemos lembrar que foi uma frase em meio a muitas respostas legais?). De todas, amamos as respostas da Chris e da Lia, mas ficamos tão incomodadas com essa exploração de um assunto saturado, com esse sensacionalismo, que nossa opinião sobre isso tudo é: desnecessário.

2 – Vai uns likes aí?

Um texto que deu muito o que falar essa semana foi o da Jana Rosa, onde ela mostrou toda a troca de e-mails e contou toda a sua saga com uma empresa que vende seguidores, likes e até comentários.

5

Para quem já trabalha nesse meio (seja blogueira, agência ou pessoas que trabalham com mídias sociais em geral) sabe que esse tipo de proposta é oferecida quase todo dia – apesar de pagar por comentários ser novidade para a gente!

E para quem acha que quase ninguém cai nesse tipo de conversa fiada, sentimos dizer, mas tem muita gente que prefere investir alguns trocados nisso do que em algo mais produtivo! Apesar dessa popularidade comprada ser nada mais, nada menos que uma ilusão, mais números = mais $$$, principalmente se forem empresas e agências iniciantes, que muitas vezes olham os números estratosféricos e nem param para ver se eles são reais – sendo que tem casos grosseiros de pessoas cheias de curtidores com nomes estranhos e, no mínimo, suspeitos!

comentariomelhor comentário disparado! rs

Não julgamos quem compra (apesar de acharmos que essas pessoas devem ser um pouco inseguras), mas preferimos ter menos seguidores reais do que um exército de perfis falsos. Nesse caso, apesar de quantidade encher os olhos, a qualidade sempre vem em primeiro lugar, não acham?

3- Com costela ou sem costela?

Outro dia vimos uma polêmica envolvendo a Primark que, pela primeira vez em algum tempo, nos deixou sem uma opinião 100% formada.

Uma menina viu um manequim na vitrine da loja e achou tão absurdo o fato dele ter costelas aparentes que resolveu fotografar e botar no Twitter. A foto em questão é essa:

primark-mannequin-ribsForam mais de 2.000 retweets e uma resposta da Primark dizendo que esses manequins seriam retirados em breve das lojas.

Sabemos que vivemos em uma ditadura do corpo magro e perfeito, apesar de vermos com muita satisfação que o movimento que prega a saúde ao invés do manequim 34 vem ganhando força. Também achamos importante que veículos noticiem a magreza de certas modelos – afinal, tantas começam em uma idade muito sugestionável, e realmente acabam adquirindo distúrbios alimentares por causa da pressão da profissão – mas estender essa polêmica à um manequim de loja?

Manequim e corpo magro sempre andaram tão juntose nunca consideramos uma meta a ser alcançada na academia e nas dietasque nem ligamos tanto se as costelas estão aparecendo ou não. É uma roupa de praia, com a barriga aparecendo, sei lá, não vimos nada demais nisso, mas concordamos com pessoas que deram a ideia de ter mais manequins com tipos físicos diferentes – afinal, nenhum corpo humano é igual ao outro, por que manequins deveriam ser?

Bem, na falta de uma opinião mais sólida, só podemos dizer que faltou pesquisa para a Primark. Essa polêmica já aconteceu com a La Perla no começo do ano e a marca de lingeries também retirou seus manequins das vitrines. O que vocês acham? Exagero ou uma conscientização que vale a pena?

28
jul
2014

Ringue da beleza: BB Cream

Beleza, Make-up, pele

Eu sempre fui uma pessoa de ter poucos e bons produtos de beleza. Se algo dá certo com a minha pele ou cabelo, eu sigo fiel até notar que o corpo se acostumou e o efeito não é mais tão incrível, ou então até eu descobrir um produto novo que me faça relembrar o que é estar apaixonada novamente! E essa vida de blogueira acaba me ajudando a descobrir novas coisas e não ficar eternamente estagnada em algo quando há um mundo de novidades lá fora.

Com o BB Cream foi um pouco assim. Comprei o da Clinique e por alguns anos, eu só tive olhos para ele. Várias marcas lançaram suas versões do creme 1001 utilidades e, por mais que eu experimentasse algumas, eu sempre ficava na cabeça que nenhum era tão bom quanto o meu queridinho.

Hoje em dia, eu uso regularmente pelo menos 2 BB Cream diferentes e, acreditem se quiser, acabei encostando inconscientemente o meu da Clinique. Vou contar sobre cada um já, já!

bb-cream-resenha

1 – Age Defense, da Clinique – Esse foi o BB que me introduziu ao mundo dos BB’s, e tenho a impressão que comecei muito bem. A cobertura dele é o que eu chamaria de média generosa e não sinto necessidade de usar base nenhuma por cima. A duração também é ótima e o FPS dele é 30. Acho ele perfeito para um dia a dia sem muitas produções!

2 – Creme Milagroso, da L’OrealJá falei dele aqui no blog e de todas as minhas opções, esse é o mais levinho. Com uma textura super líquida, é fácil de espalhar e tem uma cobertura bem digna – ainda mais se levarmos em conta toda a leveza do ser. Uso mais em dias que a pele está boa (isso é, sem olheiras gritantes, sem muitas rosáceas ou sem traços de espinhas) ou para ir para a academia. O fator de proteção é 20 e a durabilidade não é das maiores, mas para mim, o maior problema (que eu não reparei se já foi resolvido) é que só existem duas cores, a clara e a média. Apesar da cobertura ser leve (mas digna), nenhuma cor encaixa perfeitamente no meu tom de pele, mas é algo que dá para resolver com bronzer e blush.

3 – Naked Skin, da Urban Decay – De todos, esse é o que eu menos uso. Amo a Urban Decay, amo a linha Naked e, quando ganhei esse BB Cream minhas expectativas eram altas. Achei ele bem fraco, na verdade. A cobertura não é grandes coisa, a durabilidade também não e eu não curti muito o cheiro. Ele tem FPS 20.

4 – Skin Tone Correcting & Beautifying BB Cream, da Kiehl’s – Ganhei esse BB em um evento da marca e confesso que ele foi me conquistando aos poucos. De todas as opções, ele é o que tem maior fator de proteção (FPS 50!) e ainda tem vitamina C, que uniformiza o tom da pele. A cobertura é leve, mas faz a diferença. Assim como o da L’Oreal, esse BB Cream também só vem em dois tons. Estou usando o mais escuro e, para a minha surpresa, não sinto aquela diferença entre cabeça e pescoço – e de quebra, ainda deixa um aspecto meio bronzeado. A fixação dele é ótima e, além de tudo, ele ainda é resistente à água, então, ele é a minha opção para dias de praia/piscina (que são poucos, mas existem rs). Também curto usá-lo na academia ou em exercícios ao ar livre (que são poucos também, mas existem!). O ponto negativo, para mim, é o cheiro, que é consideravelmente mais forte que dos outros BB, mas acho que ele tem tantos pontos positivos, que prefiro ignorar!

5 – 5 em 1 Hidratante, da Nivea – Ganhei da marca há um tempo, mas junto com o da Urban, é um dos que eu menos uso. Ele tem várias qualidades, como uma cobertura média generosa e o cheiro é o mesmo do famoso creme Nivea, ou seja, bem gostosinho (pra mim é cheiro de quem acabou de sair do banho, uma delicia rs). Acabo não usando tanto quanto gostaria porque o fator de proteção é muito baixo – FPS 10 – e quando eu opto pelo BB Cream, eu gosto de um que não me faça ter que usar mais produtos. Como eu acho ele parecido com o da Clinique, no fim das contas a proteção faz toda a diferença e eu acabo optando pelo que tem um fator maior. Também só existem em dois tons, pele clara e pele escura.

Agora que eu falei um pouco de todos, fica a pergunta da ilha deserta. Quem eu levaria?

kiehls-bb-cream

Confesso que queria escolher mais de um, porque hoje em dia, Clinique e Kiehl’s estão praticamente empatados como meus maiores queridinhos. Mas como quero me manter fiel à proposta do ringue da beleza, ou seja, só um sai daqui como vencedor (a Jô roubou no post dela, vocês repararam, né? hahaha), resolvi escolher o da Kiehl’s.

Nesse caso, a resistência à água foi o fator de desempate. Quando eu só usava o da Clinique, minha maior frustração era a falta de uma versão que me permitisse ficar com uma pele decente também na praia. Apesar da cobertura do BB Cream da Kiehl’s ser bem mais leve, o fator “bond girl saindo da água” ganhou muitos pontos comigo.

Alguém já usou algum desses? Tem outro que também considera muito bom??

Beijos!

Carla

25
jul
2014

Trip tips destino de julho: Granada

Europa, Viagem

Os posts trip tips de sexta feira seguem firmes e fortes. Cada dia que passa estamos mais felizes com essa coluna. São dicas nossas, dicas das amigas, experiências distintas, reflexões sobre viagem e muito mais, agora criamos uma novidade mensal.

Uma vez por mês vamos dividir um destino especial com vocês (inicialmente destinos para onde já fomos, depois vamos compartilhar destinos “desejo de consumo”). E ao invés de focar em um diário de viagem, com todas as dicas e detalhes de sempre. nós vamos eleger uma cidade, um destino, para dividir com vocês 10 motivos para visita-lo.

Essa ideia me veio à cabeça depois de navegar nessa lista de 50 lugares incríveis para se visitar. Eu conheço 18 das 50 cidades e todas realmente são muito especiais. Quem ama viajar vai curtir essa relação.

De primeira, eu fiquei com vontade de dividir com vocês 10 motivos para se visitar um lugar desses onde nos sentimos felizes só de andar nas ruas. Eu escolhi falar de Granada, uma cidade na região da Andaluzia na Espanha.

1 – Porque é uma pérola de influências mouras na Espanha!

granada Alhambra

Queria ter feito milhares de fotos do jardim Generalife, um passeio lindo.

2 – Porque  é uma das cidades mais lindas da Andaluzia!

granada castelo

Nos arredores do castelo.

3- Porque Alhambra é um castelo que vale a pena conhecer, diferente da grande maioria dos castelos da Europa Ocidental.

Alhambra

Durante o passeio na Alhambra (tem que marcar hora).

4- Porque o jardim Generalife (do castelo) utilizado pelos Nascidas muçulmanos é lindo.

Granada-3

Generalife é um dos jardins mais lindos que já vi, com referências de arquitetura que só havia visto em fotos.

5- Porque tem um mirante chamado “San Nicolas” que vale a pena visitar no ponto mais alto do bairro de Albaicín.

foto

Vista do Mirante San Nicolás

6 – Porque também vale a pena passear pelo bairro de Albaicín  e suas ruas e casas branquinhas, interessante para se caminhar. Ver a vista e relaxar.

granada-bairro-albaicín

Minha amiga Jucha com o bairro ao fundo.

7- Porque a arquitetura da cidade (em diferentes bairros) é uma graça! As ruas dos bairros residências, do centro e afins são lindas. A catedral é imperdível e os arredores são uma delícia para quem gosta de caminhar.

foto centro de granada

Foto do centro, emprestada do fotógrafo  Alfio Garozzo

8- Porque em toda a cidade você nota a Sierra Nevada ao lado e a vegetação completa. Um cenário perfeito como só a natureza consegue fazer.

vista granada

Vista para a Sierra Nevada

9 – Porque o por do sol é algo imperdível, assim como o nascer do sol.

granada

por do sol em Granada | foto da internet (não tive bateria para fotografar)

10- Porque Sevilla não fica longe e também é imperdível.

Sevilla Reales Alcazares

Um dos lugares mais lindos de Sevilla (que é toda linda), Reales Alcazares | foto internet

Se você gostou dos motivos eu recomendo pesquisar sobre esse destino, a região da Andaluzia é muito mágica, com uma atmosfera única, alegre e fresca. Sentimos uma alegria especial ao andar pelas ruas da cidade, mesmo durante o inverno.

A quantidade de dias necessárias depende do ritmo dos viajantes, eu acho que dá para variar entre 2 a 4 dias, visando conhecer um pouco de tudo que a cidade tem a oferecer.

Granada foi o destino desse mês de Julho. Espero que tenham gostado!

Curtiram a ideia do destino do mês? Podem falar, viu?

Beijos

Em 2010 a cidade apareceu num trip tips de diário de viagem, sem grandes detalhes, mas quem quiser ler mais sobre ela pode vir aqui.
Página 1 de 78212345...102030...Última »