Você está navegando na categoria: "Viagem"

13
nov
2013

Trip Tips + Look do dia: Bangkok dia 03

Ásia, Jabá que nós amamos:, Looks, Moda, Tailândia, Trip tips, tt, Viagem

Depois de dois dias bem exóticos dentro e fora de Bangkok, o terceiro começou também de forma bem peculiar: No Jim Thompson House & Museum. Ele foi um arquiteto americano que se apaixonou pela Tailândia quando esteve por aqui na Segunda Guerra Mundial e amou tanto que construiu sua residência, que combina o melhor do estilo arquitetônico tailandês com referências européias e americanas. Uma mistura que deu muito certo! Mas ele não ficou famoso a ponto de sua casa virar museu apenas por se apaixonar pelo país, na verdade, ele ajudou a estimular a produção de tecidos de seda tailandeses com a Thai Silk Company. Infelizmente, o tour foca pouco na parte dos tecidos e se interessa mais em mostrar a casa que ele construiu que, de fato, é incrível! Durante os 8 anos que ele morou nessa casa (ele desapareceu misteriosamente na Malásia, aos 61 anos – curiosamente, o mapa astral dele dizia que esse não seria um bom ano para ele!) ele conseguiu juntar um bom número de antiguidades asiáticas raríssimas. Tem estátuas de Buda que datam de 400 anos atrás, tecidos que estampam histórias da mitologia tailandesa e alguns artefatos da China. Achei incrível! Aliás, a loja é imperdível. Com tecidos, lenços, almofadas, bolsas, e vários outros artigos com tecidos da Thai Silk Company, dá vontade de levar tudo (eu levei uma coisa, em breve eu mostro!)

Aproveitei que o lugar é lindo e altamente fotografável para tirar foto do look, que tava com uma inspiração meio Carla Aventureira/Exploradora. Escolhi esse colete militar na Botswana meio na dúvida se iria usá-lo. Ele também tem na cor preta e eu fiquei bem tentada em apostar no básico, mas achei que o militar poderia me fazer sair do lugar comum. Ainda não criei nenhum look mirabolante com ele, na verdade, adoro usar esse colete com um monocromático por baixo. Já usei com short e regata pretas, mas acho que preferi essa versão mais light!

look-da-ca

Camisa sem manga: Signal Flag | Colete eShort: Botswana
Sandália: presente da Dani Villanova | Bolsa: (agora) velha de guerra do Floating Market

Como o museu é coisa rápida, logo depois fomos para um lugar que é bem normal para quem mora em SP: shopping! Assim como a capital paulista, Bangkok também é lotada de centros comerciais. Fomos no complexo mais famoso deles, que fica em Siam. São 3 shoppings gigantescos a uma passarela de distância um do outro.

O Siam Paragon é o mais chic dos 3, e também o mais ocidentalizado. Tem loja de departamento só com grifes conhecidas, H&M, Zara, sem contar as lojas de marcas de luxo já conhecidas. Dior, Valentino, Marc Jacobs, Dolce & Gabbana e afins.

O Siam Discovery parece ser o mais velho dos 3. Algumas marcas americanas, outras locais que não são nada demais e tem até uma loja da Jelly/Melissa! Odiamos o shopping, só serviu mesmo porque fizemos 60 min de Reflexologia nos pés e, apesar de doer na hora, saímos de lá super leves!

Por último, tem o Siam Center, e esse eu AMEI. É bem jovem, bem moderno, com música legal e o banheiro feminino é o mais legal que eu já vi na vida! Todo espelhado com adesivos formando desenhos fofos, eu tinha que ter tirado foto, mas fiquei com vergonha porque tava cheio! Na parte de dentro da porta do banheiro tem frases fofas/engraçadas, tentei tirar uma foto mas não ficou das melhores!

detalhe-de-

Além disso, ele tem Forever 21, Accessorize e algumas outras marcas conhecidas, mas o ponto forte dele são as lojas locais. Queria ter anotado todas, porque tem várias que fazem um trabalho incrível, porém, todas que eu entrei achando que iria fazer altos achados eram super caras.

Logo depois fomos na KhaoSan Road, uma rua que é ponto de jovens e mochileiros de todo lugar do mundo, cheia de barraquinhas vendendo (mais) tranqueiras e alguns barzinhos. Fomos pra lá de tuktuk e só posso dizer que é uma aventura que vale viver. Pra começar que no transito caótico de Bangkok, esse é o meio de transporte mais rápido para lugares onde o BTS e o metrô não chegam.

tuktuk

É nessa rua também que, depois de certa hora, é possível encontrar gente vendendo iguarias como escorpiões, minhocas e gafanhotos fritos para os turistas provarem. Estávamos sentados no bar quando uma mulher passou com uma bandeja de escorpiões, mas isso é ousado demais para a gente!

nas-ruas

KhaoSan Road

nas-ruas-2

Depois dessa rua, fomos para o Rajadamnern Stadium ver uma luta de Muay Thai. É interessante, mas caso você não goste de lutas, não vale a pena, já que para ficar num lugar legal não é muito barato, e não sei se vale a pena pegar os lugares mais baratos. Eu sei que existe o estádio Lumpinee, que é o mais conhecido da categoria, talvez lá os ingressos mais baratos não sejam tão perrenguentos quanto nesse estádio!

luta

Quem planeja uma viagem para Bangkok de poucos dias e não pretende fazer compras, sugiro pular essa programação. O dia foi super interessante mas nem de longe tão legal quanto os outros dois primeiros!

Também não comemos em nenhum lugar especial, o almoço foi na praça de alimentação e o jantar foi no quarto porque estávamos exaustos!!

Em breve volto aqui com mais novidades e dicas. Espero que estejam gostando!

Beijos

Carla

11
nov
2013

Fhits no Fashion Rio: nosso QG no Hotel Santa Teresa

Brasil, Fhits, Moda, patrocinador Fhits, rio de janeiro, Viagem

Se você acompanha o futi há algum tempo, já viu o Hotel Santa Teresa por aqui em dois momentos; o primeiro foi quando conheci o Térèze com o namorado e o segundo quando postamos as fotos da Aline de noiva. Na segunda oportunidade, participei da sua manhã de noiva no hotel e mais uma vez adorei a experiência! Também já havia ido ao Bar dos Descasados e com todas essas “vivências”  juntas, posso afirmar que fiquei feliz da vida quando soube que o nosso QG seria no Hotel Santa Teresa!

hs

Para quem não sabe, ele é um dos TOP 3 hotéis do Rio! Que me desculpem os sites de viagem, mas moro aqui há 27 anos, já fui a diversos hotéis e concordo com este fato! O hotel está entre 6 primeiros no Trip Advisor e é o que mais pode apresentar um Rio de Janeiro menos óbvio, algo mais próximo ao resto do Brasil, com um toque mais rústico, linda vista e conforto de primeira linha. Quem quer fugir da praia vai amar essa opção, que tem feito a cabeça dos casais cariocas, além dos turistas.  Datas comemorativas? Parece que o romance tem tido endereço certo. Só eu conheço 3 casais que ficaram lá nos últimos 6 meses.

hotel-santa-teresa

Há quem não goste do bairro de Santa Teresa, ache fora de mão ou qualquer outra coisa do tipo. Eu não estou nesse time. Desde pequena, costumava ir lá com a minha mãe. Adoro o parque das ruínas, a chácara do Céu, a feijoada do Mineiro e seus petiscos, o Bar do Gomes, o Aprazível, os blocos de carnaval como Céu na Terra e por aí vai. Já deu para ver que o bairro traz um Rio mais bucólico e boêmio que merece ser visto!

Durante os 4 dias de visita no hotel, eu fiquei com mais vontade de levar o namorado para o tal fim de semana romântico que minhas amigas tanto amaram (beijo Lelê, Aline e Aninha).

Nosso QG foi o que de mais que especial aconteceu por lá na última semana! Suite presidencial com direito a mesa redonda, tratamento de pele com a Dra Vanessa Metz, make e cabelo com a dupla mais que engraçada Patrick e Jô, sem falar em toda a estrutura que os nossos patrocinadores proporcionaram!

QG-do-Rio

Adoramos a visita das incríveis Fabiana Karla, Carol Castro e Marina Ruy Barbosa. Foi um papo melhor que o outro!

Outra coisa do QG que fiquei com vontade de mostrar em detalhes é o closet! Eu diria que brincar de achar peças para encaixar ou turbinar nos looks já pensados é uma das partes mais criativas da semana de moda com o Fhits! Eu, particularmente, adoro esse exercício! Quanto a Linea, a Carla já falou bastante sobre a marca por aqui, eu só quero corroborar que esse chocolate branco é mesmo uma coisa de gostoso!

QG-1

Tudo foi uma delícia, mas quem nos segue no instagram (@futilidades) não vai me deixar negar que apesar do lindo QG, o mais incrível foi o Sábado. Quando pude aproveitar as dependências do Hotel, com direito a bons momentos de brainstorming, conversas legais, sol, massagem no Le Spa, piscina, sombra  e “drinks frescos”, não tinha como não cair de amores! Nesse post, eu respondo a pergunta que minha mãe me fez. Sim, o hotel é essa Coca Cola toda (desculpem a repetição do termo, mas a pergunta foi exatamente essa)!

SABADO-HOTEL

As fotos não negam, nosso sábado foi mesmo especial na cia das queridas Gabi, Helô e a Ane (amiga linda que não saiu nas fotos). Tudo ao som de uma música deliciosa. Depois, ainda encaramos um almoço no restaurante, com direito ao Carnaval de sobremesa. Pé na jaca dividido com as amigas pode né?

Sem dúvidas, eu que já gostava da ideia de ficar no hotel um dia, fiquei mais interessada ainda. Vou continuar recomendando para a turma que vem de fora do país e para aqueles que querem relaxar em um lugar mais diferente, fugindo do eixo óbvio de praia Copacabana-Ipanema-Leblon! Quase uma viagem ao Rio antigo! 

Adorei toda a experiência por lá, foi à altura das minhas expectativas, que eu posso garantir que estavam muito, mas muito altas!

Espero que tenham gostado! No mínimo, acho que deixei todo mundo com água na boca! #blogueiramalvada #seachando 

Mesmo estando a vinte minutos da sociedade padrão do Rio de Janeiro, o Hotel Santa Teresa é uma escolha mais que especial. Ele faz parte da coleção de hotéis e restaurantes mais disputados do mundo, um selo que garante uma experiência muito especial, o Relais & Chateaux!

Alguma de vocês já se hospedou por lá? Como foi a experiência? Aproveitem para dividir o momento por aqui! 

Beijos,

fashion-rio

7
nov
2013

Trip tips Bangkok: dia 02 (e um look do dia pra variar)

Ásia, Looks, Moda, Tailândia, Viagem

O 2o. dia em Bangkok foi para conhecer os templos mais famosos da cidade. O Wat Pho, o templo do Buda deitado; o Grand Palace, a antiga moradia do Rei e da Rainha e lugar do templo do Buda de esmeralda (que, na verdade, é feito de jade) e o Wat Arun, o templo do amanhecer. Todos eles ficam perto do Rio Chao Praya, e a melhor forma de se chegar a eles é de barco.

Como o primeiro dia foi todo fora da cidade, não tinha ideia do trânsito que é Bangkok. Sabe São Paulo? Então, consegue ser pior. Nossa sorte é que o hotel que estamos (vou falar melhor dele em breve) é colado numa estação de Sky Train (o BTS), então, saltamos na estação mais perto do rio Chao Praya e pegamos o barquinho de lá. Na ida, pegamos um barquinho a motor tenso, que parece que vai virar a qualquer ondinha e que te molha mais que a Splash Mountain na Disney. O fato deles te darem um colete salva vidas com os fechos quebrados também não ajuda na sensação de que você não chegará viva no primeiro templo. Ah, e eu contei que eles deixaram a gente em uma estação estranhíssima, toda improvisada com tábuas porque estava inundando e, ainda por cima, tínhamos que andar abaixados para não bater a cabeça no teto, onde garrafas de água e bandeirinhas se encontram penduradas? Pois é, aventura nível máximo.

Mas assim que chegamos ao templo, o Wat Pho, vimos que valeu o perrengue. Já tinha visto milhares de fotos do Buda Deitado e, mesmo sabendo o que me esperava, descobri que não estava preparada para a grandiosidade do Buda. Ele é enorme, e deitado, e lindo, e fotos não fazem jus ao que ele é ao vivo. Mesmo assim vou mostrar pra vocês entenderem!

montagem-q
Achava que era isso, ver o Buda e ir embora, mas quando saí do templo descobri que os arredores do local são tão incríveis quanto o próprio Buda!

Logo depois fomos para o Grand Palace. E como já haviam nos falado (se não me engano foi a Aline), tentaram aplicar na gente o golpe do templo fechado. Um cara nos parou dizendo que o Grand Palace não abriria hoje pois estava tendo uma celebração budista super importante, mas nem demos muita bola porque já sabíamos que ele queria dar um jeito de nos levar pra outro lugar e, desse jeito, ganhar uns trocados pelo transporte. Infelizmente, o que vimos de turistas caindo nesse golpe não foi brincadeira!

Aliás, o que é o Grand Palace? Ele é a antiga residência do Rei e da Rainha, mas hoje é usado somente em cerimônias especiais e turismo, claro. Imaginem algo incrível e multipliquem por milhões. Nem assim chega perto do grau de riqueza desse lugar. Tirei algumas fotos mas acho que elas também não fazem jus…

GP
Claro que aproveitei o lugar mais lindo da viagem até agora para fotografar o look! Na verdade, era pra ser foto normal, mas já que tá mostrando o look inteiro, aí vai! Na maioria dos templos é obrigatório usar calça e cobrir os ombros, tava crente que ia aguentar o tranco porque a calça é super levinha, mas morri de calor!

look-da-carlaCamiseta: J. Crew | Calça: Zara | Bolsa: do Floating Market | Tênis: All Star

Além do Buda de Esmeralda, que foi uma mini decepção por causa de seu mini tamanho (e por não ser de Esmeralda, hehe), uma das gratas surpresas desse local é o Queen Sirikit Museum of Textiles. Para ajudar o povo rural tailandês, que muitas vezes ficava sem dinheiro devido a colheitas arruinadas pelas condições climáticas adversas, a Rainha criou a fundação SUPPORT, que encoraja, ensina e financia essas pessoas a criarem produtos manufaturados como forma de ganhar dinheiro extra. E esse museu mostra vários looks da Rainha, todos feitos com os tecidos de seda feitos pela população rural tailandesa.

Para quem gosta de moda, esse museu é uma aula e tanto!

Por fim, fomos conhecer o Wat Arun. Ele é impressionante de longe, mas não é nada demais perto dos anteriores. A única coisa tensa é a escada para subir, ela é super reta, tem que subir e descer segurando o corrimão firme e, de preferência, sem olhar pra baixo!

Nesse dia, almoçamos no restaurante The Deck, que fica na margem do rio e com vista para o Wat Arun. Gostosinho, mas nada barato e, ainda por cima, rolou um stress com o troco, que veio errado (pra menos) e o garçom teimou que estava certo. Resolvemos não discutir, mas ficamos com a pulga atrás da orelha. Até agora, todo mundo tem sido bem honesto!

WA
À noite, fomos conhecer o Asiatique, um mercado noturno, também às margens do Rio. Sabe Rua das Pedras em Búzios? Nos sentimos numa versão de lá nos anos 90. Muita tranqueira, muita coisa que você acha igual na 25 de Março, nada demais. E o restaurante que escolhemos também foi uma péssima ideia. O nome é Capri, a comida é gostosinha mas nada memorável, mas nada supera o copo que recebemos, que estava sujo de batom. Só acertamos em um restaurante durante essa viagem e, por incrível que pareça, é o restaurante do hotel! Mas depois eu conto com mais detalhes!

Asiatique
Espero que estejam gostando do meu diário/trip tips/ look do dia da viagem!

Beijos

Carla